Palo é o nome que se dá às sub-classificações dos ritmos Flamencos.
Dependendo do compasso, da escala utilizada, da progressão de acordes, do tema abordado na letra e de outras características mais destacadas das músicas, estas podem classificar-se de diferentes maneiras, de forma que músicas em um mesmo palo apresentam características semelhantes. Dentre os principais palos flamencos destacam-se a Seguiriya, a Soleá, a Bulería, a Alegría, a Rumba, o Tango, o Fandango e a Sevillana (Veja ao final dessa página uma relação com todos os palos Flamencos).

Para entendê-los, é importante saber que cada um dos estilos de flamenco tem uma estrutura, com uma parte fixa e uma parte variável ( porque em um tablado de flamenco tudo pode acontecer, e você tem que deixar um espaço para improvisação ).

O Martinete é o palo mais antigo, dançado a palo seco, ou seja, sem acompanhamento de violão.
De certa forma, alguns destes palos eram músicas tradicionais que posteriormente foram incorporadas ao Flamenco. Assim sendo, muitos não consideram as Sevillanas, por exemplo, como sendo Flamenco. Vale notar que existem vários outros palos além destes, uma centena, como Canastera, Alboreá, Petenera, etc. Cada palo contém características marcantes que podem identificá-los. Assim os palos jondos são mais pesados, tristes, como a Soleá. Há contudo músicas que apresentam uma certa mistura dessas características.

O palo mais antigo no Flamenco, acompanhado de algum instrumento é a Seguiriya. Antes dele as músicas eram apenas cantadas, sem dança nem violão (as chamadas Tonás), como no caso do martinete, onde aparece a bigorna como acompanhamento, por exemplo. Após as Seguiriyas vieram as Soleá, quando o Flamenco passou a ser apresentado, inclusive com dança.

E então vieram as Bulerías, que apresentavam um caracter mais festivo, com danças mais aceleradas. As Bulerías são o palo em que o guitarrista/violonista ou o bailaor podem mostrar suas melhores habilidades, havendo muita improvisação. Já a Petenera, apesar de ser um palo bem raro de ser encontrado, possui toda uma lenda por trás, segundo à qual o compositor que a compusesse seria vítima de tal azar que seus dias estariam contados. Sendo assim, geralmente é escrita quando o autor está bastante deprimido, com letras associadas à morte (já que o autor “está ciente” de que vai morrer).

Palos flamencos mais dançados

Optamos, aqui, por destacar os mais dançados, embora existam muitos que não são acompanhados de dança.

Alegrias: Seu próprio nome diz isso; Esta é uma bússola que indica festa e alegria. Sua bússola é a mesma que a do soleá, mas vai mais rápido.

Bulerías: Não há festa de flamenco que não termine com as bulerías. É o canto e a dança mais flexível dos estilos de flamenco, e parece que vem dos ciganos de Jerez, em Cádis. A bússola é (novamente) a mesma que a do soleá, mas em ritmo acelerado! As bulerías transmitem ruído, tumulto … No caso das bulerías por soleás, o ritmo é mais lento.

Fandangos: De origem árabe e portuguesa, esta bússola recorda-nos o fado e a mistura de culturas. Cada área fez o seu próprio estilo e hoje temos os fandangos de Huelva, os fandangos de Málaga (ou malagueñas), etc.

Seguiriyas (ou seguidillas, dependendo de com quem você fala): É um cante cheio de sentimento, triste e doloroso, o que mais nos lembra o cante hondo. Sua dança é geralmente muito solene, sem ornamentos e muito excitante.

Sevilhanas: É possivelmente a dança de flamenco mais difundida; É dançado em toda a Andaluzia e tem a singularidade de dançar em pares. ‘Du llú anderstan?’ É possivelmente a frase mais ouvida na Feira de Sevilha. Os estrangeiros (na Espanha) adoram ser ensinados a dançar sevilhanas, e há aqueles que já estão se lançando como professores.

Soleás ou soleares: É contestado se o seu nome vem da solidão, ou da solidão, ou seja, colocando o sol. É também um solene cante, com sentimento, e é um dos pilares dos estilos de flamenco.

Tangos: Como os soleares, os tangos são um dos estilos fundamentais do flamenco. A dança dos tangos é possivelmente a mais antiga, embora mais tarde esta vareta tenha se tornado independente para cantar sozinha. Este é o lugar onde um flamenco pode mostrar todo o seu mal, sua graça e seu sal … Como eles fizeram em Cádiz com o tango do famoso disco!

Como diferenciar estilos de flamenco?

Aqui está o cerne da questão. A maioria dos estilos de flamenco é agrupada em famílias.
Os palos flamencos mais enraizados apresentam compassos por 12, enquanto outros palos que foram incorporados ao flamenco ou sofreram influência de outros ritmos não-flamencos apresentam compassos por 3 e outros por 4, existindo até mesmo palos com ritmo livre, sem contagem exata.

  • Compasso por 12: – seguirilla – soleá – bulería – alegría
  • Compasso por 3: – sevillanas – fandango
  • Compasso por 4: – tango – rumba – tiento

Para começar, você tem que perceber as métricas da música. São medidas de 12 vezes, de 4, de 3 ou de 2? Agora olhe para o sotaque musical. Se a bússola é 12, onde é o ‘hit’? Segundo o que pode ser uma bulería, um soleá, ou até uma bulería por soleares.

Você também pode diferenciar estilos de flamenco de acordo com suas letras e estrofes, como fazemos com a poesia.

Por exemplo, romances têm estrofes (que no canto flamenco são chamadas coplas) de três ou quatro versos octosílabos. As seguidillas são de três ou quatro versos mas de cinco e sete sílabas, e os versos curtos sempre rimam. E no caso dos fandangos , os dísticos são de cinco versos, e rimam por um lado os pares e por outro estranho.

Enfim, não há outro jeito, você precisa treinar muito o ouvido, e pouco a pouco, vá ousando também com farrucas, romeras, caracóis, garrotín, serranas … O que você está esperando?

São estes os vários Palos Flamencos:

  • Alboreá
  • Alegrías
  • Bambera
  • Bandolá
  • Bulerías
  • Cabales
  • Campanilleros
  • Cantiña
  • Caña
  • Caracoles
  • Carcelera
  • Cartagenera
  • Colombiana
  • Copla andaluza
  • Córdoba ou Cordobesa
  • Corríos
  • Debla
  • Fantasía
  • Fandango
  • Fandanguillo
  • Farruca
  • Galeras
  • Garrotín
  • Granaína
  • Guajira
  • Jabegote
  • Jabera
  • Jota
  • Liviana
  • Malagueña
  • Mariana
  • Martinete
  • Media
  • Media Granaína
  • Milonga
  • Minera
  • Mirabrás
  • Murciana
  • Nana
  • Petenera
  • Polo
  • Romance
  • Romeras
  • Rondeña
  • Rumba
  • Saeta
  • Seguirilla ou Siguiriya
  • Serranas
  • Sevillana
  • Soleá
  • Tango
  • Tanguillo
  • Taranta ou Taranto
  • Tientos
  • Toná
  • Trillera
  • Verdiales
  • Vidalita
  • Zambra Mora
  • Zorongo